Eco power zero residence

Eco power zero residence

ECO RESORT || A empresa sediada no Reino Unido, Green Concept Management, revelou planos para construir o primeiro resort de luxo sustentável da Europa, bem aqui no Algarve. O projeto, chamado Eco Power Zero Residence, envolve a construção de 20 casas independentes na área de Portimão, que a empresa diz permitirá aos seus habitantes viver uma vida livre de CO2. Com o apoio da câmara de Portimão e em parceria com a Universidade do Algarve, este projeto será “o primeiro do seu tipo a ostentar casas de luxo com zero emissões de carbono na Europa”.
Que um resort pode ser energeticamente autossuficiente de janeiro a dezembro, graças à energia renovável de painéis solares e microturbinas eólicas. Além de um fornecimento individual de energia renovável, construção sustentável e aparelhos que economizam energia, cada casa contará com um carro elétrico, permitindo que seus habitantes se movam pela região sem deixar de respeitar o meio ambiente. Para demonstrar a viabilidade do projeto, a Green Concept Management realizou uma pesquisa baseada numa casa média de quatro residentes permanentes (na zona de Portimão, que ocupa 300 metros quadrados com alto nível de conforto moderno). Os resultados mostram que este tipo de casa produz cerca de 42,5 toneladas de CO2 por ano. No entanto, se toda a sua energia elétrica fosse fornecida por painéis solares, poderia economizar até 37,5 toneladas de emissões de CO2 por ano, reduzindo as emissões totais para apenas 4,5 toneladas. Isso significa que as Eco Power Zero Residences poderiam, de fato, proporcionar alojamento 24 horas com apenas 10% das emissões de CO2 em comparação com as casas normais. “Acreditamos que isso é viável em Portimão”, diz Guy de Maillé, porta-voz da Green Concept Management.

Informação do projeto

O projeto, chamado Eco Power Zero Residence, consiste na construção de 20 casas independentes na área de Portimão, que permitirá aos seus habitantes viver uma vida livre de CO2.

Localização: Portimão

Tipo de projeto: Resort de luxo sustentável

Arquiteto: João Nuno Laranjo

Economia de emissões de CO2: 90%

A prefeita de Portimão, Isilda Gomes, concorda: em uma entrevista exclusiva com o residente, ela disse que “a ciência e a tecnologia evoluíram de tal maneira que acredito que algum dia será possível uma emissão zero de carbono“. Ela acrescentou que “o Algarve é o lugar ideal para esse tipo de projeto, devido aos seus recursos naturais. Temos uma grande capacidade de aproveitar e armazenar energia solar, portanto, podemos dar um grande passo em direção à redução das emissões de CO2”. Como membro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Ambiental e Sustentável, a prefeita está naturalmente entusiasmada com este projeto, que também espera que criará mais turismo de qualidade para a região. “Não tenho dúvidas de que este projeto é de ótima qualidade e certamente atrairá outro tipo de turistas com maior poder aquisitivo, que também é o que visamos na cidade. Queremos agitar a economia”. O novo desenvolvimento será situado na área de Mexilhoeira Grande, que foi escolhida por sua “exposição ao sol, acessibilidade e proximidade de áreas-chave de entretenimento, como praias e campos de golfe”. Também foi escolhido por “ser uma área que ainda não está superpovoada. Para nós, Portimão é o lugar certo, tendo em vista o meio ambiente, as atividades esportivas, as estradas, os aeródromos e, obviamente, o clima“, explica Guy de Maillé. De fato, a prefeita local diz que “porque o projeto será construído em Mexilhoeira Grande, não adicionará pressão às áreas costeiras que já estão superlotadas”. É uma parte de por que ela vê favoravelmente este projeto, que ela acredita ser “Diferente de tudo que vimos antes. Ele merece nossa melhor e maior atenção. Além disso, está lindamente desenhado. Projetos autossustentáveis são uma valiosa contribuição para o turismo”, ela nos disse. “E como não temos nada parecido neste momento, seria ótimo para Portimão e o Algarve”. As residências de luxo, que incluem cinco quartos, uma piscina, uma garagem e outras instalações, foram projetadas pelo renomado arquiteto francês Henrich Fitger, utilizando métodos de construção modernos, especialmente em termos de isolamento térmico e proteção solar.
O design arquitetônico foi confiado ao arquiteto português João Nuno Laranjo, que criou esses designs modernos de casas com um toque das vilas tradicionais do Algarve pelas quais é conhecido.
Esse complexo verde piloto também servirá como um projeto de pesquisa para a Universidade do Algarve, que terá uma área especial para desenvolver e experimentar novas tecnologias de energia renovável.
Green Concept Management, com sede em Londres, revelou planos para o que alega ser o primeiro empreendimento imobiliário de luxo “sustentável” do mundo. O projeto, denominado Eco Zero Power Residence, inclui 20 moradias unifamiliares situadas na área de Portimão, que segundo a empresa permitirá aos seus habitantes viver uma vida livre de CO2. Com o apoio da Câmara Municipal de Portimão e em aliança com a Universidade do Algarve, este projeto será o primeiro do seu tipo a oferecer moradias de luxo sem emissões de carbono na Europa.

O objetivo é mostrar ao resto de Portugal, e da Europa, que um empreendimento completo pode ser auto-sustentável em termos energéticos de janeiro a dezembro, graças à energia renovável produzida a partir de painéis solares e micro-turbinas. Além de um fornecimento de energia renovável de construção individual, sustentável e eletrodomésticos econômicos, cada moradia incluirá um carro elétrico, da gama Renault Zoe, que permitirá aos seus habitantes mover-se pela região respeitando o meio ambiente. Para provar a viabilidade do projeto, a Green Concept Management realizou um estudo baseado no consumo médio de uma família de quatro residentes permanentes (na região de Portimão, ocupando 300m² com um alto nível de conforto moderno). Os resultados mostram que este tipo de estrutura consome cerca de 70.000 KWh por ano (ver Gráfico), ou seja, uma produção de cerca de 42,5 toneladas de CO2 por ano. No entanto, se 100% de sua energia elétrica fosse fornecida por painéis solares, poderia economizar até 37,5 toneladas de CO2 por ano, reduzindo as emissões anuais totais para 4,5 toneladas de CO2.

Isto significa que uma Residência Eco Power Zero poderia, de fato, proporcionar 24 horas de habitação com apenas 10% das emissões de CO2 em comparação com um estilo de vida normal. “Acreditamos que isso é possível em Portimão”, disse Guy de Maillé, presidente da Green Concept Management. A presidente da Câmara Municipal de Portimão, Isilda Gomes, concorda. Numa entrevista exclusiva, ela disse que “a ciência e a tecnologia evoluíram de tal forma que acredito que a compensação de carbono será possível algum dia“. Ela acrescentou que “O Algarve é o lugar ideal para esse tipo de projetos graças aos seus recursos naturais. Temos a capacidade de aproveitar e armazenar energia solar, podemos dar um grande passo em direção à redução das emissões de CO2”. Como membro da “Comissão Nacional para o Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável”, a presidente está naturalmente entusiasmada com este projeto, que ela espera que traga mais turismo de qualidade para a região. “Não tenho dúvidas sobre a excelência da qualidade deste projeto que certamente atrairá um turismo diferente, com maior poder aquisitivo, que também queremos para nossa cidade. Queremos agitar a economia“. O novo empreendimento será construído na região de Mexilhoeira-Grande, escolhida pela sua excelente exposição solar, acessibilidade, proximidade a áreas-chave de lazer como praias e campos de golfe, mas principalmente porque ainda não está saturada. “Para nós, Portimão é o lugar certo, considerando o meio ambiente, as atividades esportivas, as estradas, o aeroporto e, claro, o clima”, explica Guy de Maillé. Segundo o presidente, “como o projeto será construído em Mexilhoeira-Grande, ele não acrescentará pressão sobre as áreas costeiras que já estão densamente povoadas“. Ela apoia este projeto que considera inovador, “Ele é diferente de tudo que já vimos até agora e merece nossa maior atenção. Além disso, ele é muito bem projetado“. Na sua opinião, os projetos autossustentáveis fazem uma valiosa contribuição para o turismo, “E como ainda não temos nada assim no momento, um projeto como este será excelente para Portimão e o Algarve”, acrescenta. O projeto energético para residências de luxo, que inclui 5 quartos, piscina, garagem e outras facilidades, foi desenhado pelo renomado arquiteto francês Henrich Fitger, utilizando métodos de construção modernos, especialmente no que se refere a materiais de isolamento térmico e proteção solar. O design arquitetônico foi confiado ao arquiteto português João Nuno Laranjo, que para este projeto projetou casas contemporâneas mantendo o charme das villas tradicionais do Algarve, o que lhe deu notoriedade. Quanto ao preço, Guy de Maillé nos diz que “uma villa de aproximadamente 300m² de espaço habitável, com um jardim de 2.500m², não excederá os 600.000 euros”. Esta estação piloto também servirá como projeto de pesquisa para a Universidade do Algarve, que será responsável pelo desenvolvimento, bem como por uma área especial dedicada ao desenvolvimento e teste de novas tecnologias de energia renovável. Miguel José Oliveira, Diretor do Departamento de Engenharia Civil da Universidade, destaca que este é um “projeto pioneiro, com um componente inovador muito importante”, e como a Universidade do Algarve tem a experiência necessária, sua equipe espera poder ajudar a desenvolver o projeto e fazer com que ele seja realizado.

  • 16.400 kw/h Aquecedor 23,6% 23,6%
  • 29.600 kw/h Refrigeração 42,5% 42,5%
  • 1.300 Kw/h Produção de água quente 1,9% 1,9%
  • 6.600 kw/h Consumo doméstico e culinário 9,5% 9,5%
  • 5.500 KW/H Comunicação e informática 7,2% 7,2%
  • 3.600 KW/H Iluminação 5,2% 5,2%
  • 7.100 KW/H Total de conforto e lazer 10,1% 10,1%
  • 69.600 KW/H Consumo total 100% 100%